[Inicio] [Histórico] [Sócios] [Prêmios] [Títulos] [Fotos] [Vendas] [Links] [Artigos] [Forum]

SINGAMOSE

CLÍNICA VETERINÁRIA Dr. JORGE DE JESUS BELUT
Rua São Cristóvão, 139 - CEP: 18705-470
AVARÉ - SP

(Artigo retirado da Revista da Sociedade Ornitológica de Jacarei - SOJ, do ano de 2005)

          Agente: Singamus trachae

          É um verme do gênero dos Nematodeos, também conhecido como verminose traqueal das aves.

          É a minhoca quem transmite, principalmente para os galináceos em geral, acomentendo patos, gansos e pássaros silvestres, podendo acometer canários, curiós e outras aves, é rara nas aves de companhia mas não impossível acometê-las.

          São mais comuns nas aves jovens, pois podem ser transmitidos para os filhotes através dos pais quando os alimenta, se contaminados, sendo necessários um cuidado mais especial aos pássaros silvestres, pois são quem mais os transmitem.

          As larvas e os ovos deste parasita podem ser encontrados na terra e na água, e o verme uma vez parasitando o hospedeiro, causa uma irritação na garganta da ave pois a fêmea se incrusta na parede traqueal causando a lesão, produção de muco e formação de granuloma.

          O período de incubação é de 14 dias.

          SINTOMAS
               - Falta de ar
               - Dificuldade de respirar
               - Dispnéia
               - Fraqueza
               - Tosse
               - Emagrecimento
               - A ave quer tirar alguma coisa do bico
               - A ave sacode a cabeça
               - Fica no chão
               - Os pássaros tentam expulsar os parasitos sacudindo muito a cabeça
               - A respiração fica difícil
               - Rouquidão
               - Sibilo
               - Chiado
               - A ave estica o pescoço e abre o bico tentando reter ar
               - As vezes morre sufocada devido asfixia causada pela obstrução do muco que aumenta muito
               - Asas caídas
               - Embolada
               - Penas eriçadas
               - Sangue na comissura do bico.

          LESÕES OBSERVADAS
               - Parasitos fixados na traquéia
               - Nódulos na traquéia
               - Parasitos de cor roxa na observação à luz
               - Verme adulto na abertura glotal ou na traquéia observado com uma trasiluminação traqueal com o pescoço estendido
          DIAGNÓSTICO
               - Se baseia no encontro do ovo opérculado duplo no muco ou nas fezes
               - Na necropsia observa-se parasito vermelho e grande na traquéia em forma de Y (forquilha) devido a fêmea em constante cópula
               - "A enfermidade que ocorrem em situação de grupo também pode ocorrer em aves isoladas".

          NÃO CONFUNDIR COM
               - Sternostoma tracheocolum (ácaro da traquéia)
               - Pneumonia
               - Piolho
               - Asma dos canários
               - Doença do fole
               - Aerosaculite

          CONDUTA E CUIDADOS
               - Remover os parasitos
               - Higiene e limpeza
               - Manejo adequado
               - Evitar aproximação de aves silvestres nas gaiolas e viveiros

          TRATAMENTO
          Consultar VETERINÁRIO de sua confiança e que conheça bem o problema

          Dr. JORGE DE JESUS BELUT

[Arlequim Português] [Fife Fancy] [Fiorino] [Gloster] [Lizard] [Raça Espanhola] [Topete Alemão]

©2005-2016 Canaril GPorte
Webmaster: Richard Fuzishawa