[Inicio] [Histórico] [Sócios] [Prêmios] [Títulos] [Fotos] [Vendas] [Links] [Artigos] [Forum]

FIORINO


Origem: Florença Itália

Histórico

Esta raça de canários denominada FIORINO ou FLORIM foi recentemente reconhecida pela COM como mais uma raça frisada de topete.

A idéia de criar a raça teve a origem em Florença, sendo um dos seus idealizadores o Dr. Livio Susmel que pretendia produzir um pequeno e vivo canário frisado de uma plumagem branca com topete idêntico ao Gloster, porem melânico.

As frisuras deveriam ser semelhantes às dos PARISIENSES e o topete, tamanho e forma do corpo idênticos ao de um Gloster.

Para produzir tal pássaro, foram cruzados Parisienses de pequeno tamanho com Glosters de cor branca. Pretendia o Sr. Susmel entrecruzar os mestiços e obter na Segunda geração os resultados desejados, mas as experiências fracassaram.

Na década de 60, outros criadores retomaram a experiência com objetivo ligeiramente modificado: produzir um pássaro frisado pequeno com topete e forma, semelhante ao Gloster mas sem qualquer restrição à cor.

Foram utilizados então os Frisados do Norte de pequeno tamanho e o Gloster e, seguindo a técnica preconizada pelo Sr. Susmel, conseguiram, já na Segunda geração, material com algumas das caracteristicas desejadas. Após um trabalho longo de cerca de dez anos, os criadores conseguiram fixar as caracteristicas desejadas e fizeram, então, um padrão que se aproximasse dos passaros obtidos.

Em 1980, os primeiros passaros foram apresentados por ocasião de uma exposição em Bolonha.

No Brasil, até a data de hoje, esta raça pouco se faz presente, mas é provável que em alguns anos, face à sua vivacidade e capacidade de proliferação, tenha condições de se apresentar em um numero satisfatório.

O FIORINO IDEAL

Tamanho - o tamanho deve variar em torno dos 13,5 cm como o ideal sendo o menor possível.

Forma - a forma geral é a de um Gloster com ombros largos e arredondados, corpo afunilando rapidamente par a cauda. O pescoço, porem, é perfeitamente definido apesar de robusto. As frisuras básicas, manto, peito e fachos, dão a forma final ao pássaro.

Posição - a posição do corpo em relação é horizontal de 55º, aproximando-se mais da Border que da Gloster.

Cabeça - a cabeça é de tamanho mediano com pescoço liso, robusto, mas perfeitamente definido. Nos passaros com topete, este deve seguir o padrão do Gloster Corona; nos sem topete, a cabeça deve se aproximar da do consorte.

O bico é curto e forte e os olhos mais próximos do bico que da nuca.

Manto - dividido por uma linha longitudinal, caindo simetricamente sobre os ombros e asas.

Peito - com a forma normal dos frisados formando um " cestinho" na parte superior. O ventre deve ser liso.

Fachos - grandes, simétricos envolvendo as asas.

Plumagem - deve ser sedosa e compacta mas nas partes onde não existem frisuras. As asas são curtas e perfeitamente aderentes ao dorso. A cauda é curta e compacta .

Pernas - as coxas ligeiramente aparentes e emplumadas, com as canelas pouco fletidas em relação às coxas, unhas e dedos perfeitos.

Condição geral - limpeza perfeita, saúde e vivacidade completam o pássaro ideal.

Este texto foi extraido do manual de julgamento, para obter mais informações adquirir o mesmo junto a FOB ou OBJO.

Nota: o texto acima é de autoria do Juiz Arno Büchli e pode ser acessado na página do Criadouro Büchli.

[Arlequim Português] [Fife Fancy] [Fiorino] [Gloster] [Lizard] [Raça Espanhola] [Topete Alemão]

©2005-2016 Canaril GPorte
Webmaster: Richard Fuzishawa